banner

30 de abr de 2012

Títulos sobre o rival

Coritiba leva vantagem em títulos 
conquistados sobre o rival





Desde que o Campeonato Paranaense colocou na decisão pela primeira vez frente a frente as duas maiores equipes do Estado em 1941, - campeonato vencido pelo Coritiba - as equipes se encontraram depois em finais mais 16 vezes, com 8 títulos para cada lado "EM FINAIS" 

No entanto, no quesito, TÍTULOS SOBRE O RIVAL, quem leva vantagem é a equipe do Alto da Glória, sendo 10 títulos conquistados sobre o time da baixada e 8 títulos deles em cima do Coxa.

Segue-se os anos, onde cada time levou o título, conquistando em cima do rival:

1941 - 1968 - 1972 - 1978 - 2004 - 2008 – 2010 – 2011 - 2012 - 2013
10 vezes - CORITIBA

1943 - 1945 - 1983 - 1990 - 1998 - 2000 -2005 – 2016
8 vezes  Time da baixada

Mesmo que em 2010 e 2011 o Coxa tenha conquistado os títulos de forma antecipada, os títulos foram conquistados EM CIMA DO MAIOR RIVAL, o que não tira o mérito das conquistas, aumentando assim ainda mais a HEGEMONIA ALVIVERDE NO ESTADO. 

 


2004 - Aristizabal carregado comemora com a torcida coxa-branca em plena Arena da Baixada !




2008 - Henrique Dias comemora o gol do título.



2010 -  CAMPEÃO - Geraldo fecha o caixão rubro negro e decreta o título de uma sequência de 4 seguidos em cima do rival.


2011 -
 BI-CAMPEÃO - O palco: Mais uma vez a Arena - Bill junto a torcida coxa que incendiou a Arena.



2012 -
É Tri-Campeão - Atletas do Coxa ironizam o rival com o chororô.



2013 -
TETRA-CAMPEÃO - RIVAL TETRA VICE
Foto: coxaglorioso.com.br
Rafinha, um dos únicos atletas a ser tetra-campeão de fato.


29 de abr de 2012

Roma 1 x 3 CORITIBA - Paranaense 2012

Coritiba confirma favoritismo e encerra segundo turno goleando
Garantido na final, Coxa vai até Apucarana com time reserva e vence o Rebaixado Roma por 3 x 1.

Análise
O Coritiba foi até a cidade de Apucarana apenas para cumprir tabela e aproveitou para escalar os reservas em campo, assim como ver a atuação de alguns jovens no elenco profissional, como Tiago Primão, que estreiou pela equipe principal e até quem comandou a equipe a beira do gramado foi o auxliar técnico de Marcelo Oliveira, o Tico, Cleocir Santos e não decepcionou. O Verdão entrou em campo usando seu tradicional uniforme número 1, porém com calções brancos, assim escalado: Edson Bastos, Bernardo, Diego, Luccas Claro, Eltinho, Artur, Djair, Emerson Santos, Renan Oliveira, Rafael Silva e Marcel.

Entrando com o sangue doce, como se fala na gíria do futebol, o Coritiba entrou em campo disperso, meio que tímido, errando muitos passes, abusando dos chutões e a falta de entrosamento acabou comprometendo a qualidade do jogo e a consequência foi sair atrás no placar.
O jogo seguia num ritmo lento até aos 10 minutos, quando o atacante Souza avançou pela esquerda e chutou cruzado. Ele pegou o goleiro Edson Bastos no contrapé, que se preparava para cortar um possível cruzamento e abriu o placar: Roma 1 a 0.
Disposto a encerrar sua Participação na Primeira divisão com honra, a equipe da casa chegou a ser superior ao Verdão na primeira etapa, porém o empate não demorou e Coxa partiu para o ataque, e criou três chances. Na primeira tentativa após cobrança de falta, o atacante Marcel(considerado o pior em campo pela equipe da Rádio Transamérica) cabeceou para fora. 
Depois de falta lateral, o meia Renan Oliveira desviou por cima do gol adversário. Aos 26min, em rara jogada pelo chão, Renan tocou para o meia Rafael Silva, em condição legal. O camisa 11, com categoria, finalizou por cima do goleiro Diego para marcar seu primeiro gol como profissional. 1 x 1.

A partida ficou equilibrada e apesar de algumas chances para os dois times, além de um gol anulado para a equipe do Roma, devido a impedimento, o primeiro tempo terminou empatado a um gol.

SEGUNDO TEMPO

O Coxa voltou para a etapa final com algumas modificações, uma foi a substituição promovida pelo Técnico interino, saiu Rafael Silva para entrada de Zé Rafael e a outra, foi que o Coxa voltou mais inspirado, buscando o ataque desde os primeiros inícios e numa dessas chances, o zagueiro Luccas Claro cabeceou para a defesa de Spada. No rebote, o meia Renan Oliveira tocou para o meio da área, mas o zagueiro Marcelão afastou o perigo. 
O Coxa passou a dominar a partida, e perdeu muitas chances de virar a partida, ora com o goleiro Spada salvando o Roma, ora pela falta de entrosamento da equipe, apesar disto, o Coxa era melhor.
Mais tarde, o interino, mexeu na equipe pela segunda vez e promoveu a estreia do meia Thiago Primão no lugar de Emerson Santos. 
Na sequência, em nova cobrança de falta, a zaga romana afastou, no rebote Luccas Claro ajeitou fora da área e mandou uma bomba, por cima do gol adversário.
Aos 28min, última alteração,o técnico tirou Marcel e no seu lugar entrou Caio Vinicius, e aos 30min , o camisa 18 - na primeira jogada dele - chutou colocado e marcou: Coritiba 2 a 1.
Depois do gol, o ritmo da partida caiu um pouco, e o time do Alto da Glória com o resultado positivo passou a dominar mais a partida, valorizando a posse e o toque de bola. Os donos da casa, sem forças de reação, viam o Coxa tocar a bola e para tornar o rebaixamento ainda sofrível para a pequena torcida local, saiu mais um gol para o Coritiba.
Aos 37 minutos. Thiago Primão colocou o meia Renan Oliveira(escolhido o melhor em campo, pela mesma equipe) na cara do gol. O camisa 10 bateu forte, no canto do goleiro Spada que não pode fazer nada e fechou o placar: Coritiba 3 a 1. 

Com o resultado, o Coritiba ampliou a melhor campanha do Paranaense, que havia sido confirmada com uma rodada de antecedência. Em 22 jogos, o Coxa fez 53 pontos com 54 gols assinalados e 19 sofridos.
Fim do segundo turno, garantido na final, o Coxa vai agora para a decisão contra o arqui-rvial, numa disputa em dois jogos, o primeiro na VILA CAPANEMA, dia 06/05, e o segundo jogo decisivo no Couto na semana seguinte.

O próximo compromisso do Verdão, será o jogo de volta pela Copa do Brasil, dia 03/05, contra a equipe do Paysandu em Belém, às 19:30.

[a tua camisa alviverde para sempre hei de amar] 




28 de abr de 2012

Coritiba: Seleção anos 90

O TIME DOS SONHOS DOS 90 ANOS DO CLUBE

No dia 12 de outubro de 1999 o Coritiba comemorava seus 90 anos de fundação, e para homenagear o clube o, "JORNAL DO ESTADO", publicou no seu caderno de esportes, PARANÁ ESPORTIVO, dia 11 de outubro de 1999 uma reportagem realizada com dirigentes, jornalistas, jogadores e torcedores para elegerem o melhor time de todos os tempos do Coritiba, de todos os jogadores, até época, que passaram pelo clube estavam na disputa.


26 de abr de 2012

Coritiba 4 x 1 Paysandu - Copa do Brasil

Coritiba abre boa vantagem contra o Paysandu no primeiro jogo 

Confira o primeiro gol da partida

A equipe do Coritiba goleia a equipe do Paysandu por 4 x 1 e leva boa vantagem para o jogo de volta.

O JOGO
O Coritiba entrou em campo na noite desta quinta feira, às 19:30, diante de sua torcida para enfrentar a equipe do Paysandu, no Estádio Couto Pereira pela primeira partida das oitavas de final da Copa do Brasil com seu uniforme tradicional número 1 assim escalado: Vanderlei, Emerson, Demerson, Jonas, Lucas Mendes, Junior Urso, Tcheco, Everton Ribeiro, Lincoln, Roberto e Anderson Aquino.
Jogando em casa e necessitando fazer o resultado para jogar a segunda partida em Belém de forma mais tranquila, foi com esse pensamento que a equipe Coxa-Branca entrou em campo e dominou o primeiro tempo, indo pra cima da equipe do Paysandu desde o início da partida e aos 10min, perdeu uma ótima chance de abrir o placar. Jonas escapou da marcação e passou na medida para Lincoln, que sozinho na marca do pênalti, acabou pegando mal na bola e mandou para fora. 
Aos 19min, Everton Ribeiro aproveitou escanteio da direita e cabeceou, a bola passa rente ao poste direito. O Verdão detinha maior posse de bola e dominava a partida e os visitantes pouco chegavam a meta de Vanderlei.
O Coxa era só pressão, e o gol estava "maduro". E saíram dois de uma vez só, logo de cara, para alívio da torcida.
Aos 32min, Anderson Aquino recebe livre na entrada da área. O atacante bateu colocado no canto alto de Paulo Rafael e abriu o placar no Couto Pereira. 1 a 0 COXA.
Um minuto depois, outro ataque fulminante do Coxa. Roberto foi lançado no ataque, ganhou a disputa com o zagueiro e tocou de cobertura para ampliar o marcador: 2 a 0 COXA
O time do Paysandu ficou perdido em campo, atordoado, bom para o Coritiba que aproveitou para ampliar. 
E o terceiro gol veio aos 42min, Roberto passou por Vanderson na área e cruzou da linha de fundo. Éverton Ribeiro bateu de primeira e aumentou a vantagem dos mandantes. 3 a 0 COXA. O Verdão desenhou já no primeiro tempo uma grande vitória que se confirmaria na etapa final.

SEGUNDO TEMPO
O Coritiba volta com a mesma formação para a etapa final que reservava muitas emoções.
Com larga vantagem no marcador, o Coritiba relaxou e deixou a equipe visitante crescer na partida. Precisando diminuir a vantagem coxa-branca, o Papão pressionou o Coxa o segundo tempo, com algumas boas descidas contra a meta do Coritiba. 
Aos 7min boa jogada do Papão, Thiago Potiguar vai a linha de fundo e cruza na área para Rafael Oliveira sozinho isolar. O jogo era aberto, lá e cá.  Apesar das boas jogadas, realizadas pela equipe verde e branca, o quarto gol não saia, e a torcida já começava a ficar impaciente, nisso, brilha novamente a estrela do técnico
Aos 17min, Marcelo Oliveira fez a primeira alteração no time alviverde. Saiu Anderson Aquino e no seu lugar entrou Renan Oliveira. Com a vantagem no placar, o Coxa passou perigosamente tentar administrar a partida, e o Paysandu tentando diminuir. 
E foi o que aconteceu, a equipe do Paysandu aproveitou vacilo da defesa do Coritiba e conseguiu descontar aos 22min. Helinton apareceu na cara do gol e se atrapalhou com a bola. Na sobra, Tiago Potiguar aproveitou para fuzilar Vanderlei e diminuir o prejuízo dos visitantes. 3 x 1
Depois do gol dos visitantes a partida começou a ganhar ares de dramaticidade, e o Paysandu cresceu na partida, já que se fizessem mais um gol, iriam com a esperança renovada para o segundo jogo.
Vendo a pressão que a equipe do Paysandu impunha e a pouca movimentação do Coritiba, o técnico Marcelo Oliveira resolve mexer na equipe e faz duas alterações de uma vez só. 
Aos 29min procede duas alterações. Tira Linconl e no seu lugar entra o jovem Rafael Silva. Na sequência entra o recém contratado Sérgio Manoel, no lugar de Jonas.
As mudanças deram mais dinamismo ao time coxa-branca, e surtiram efeito.
Aos 35min, Rafael Silva - que acabara de entrar - penetrou na área e Tiago Costa derrubou o atacante. Guilherme Ceretta de Lima, o árbitro da partida, aponta; penalidade máxima para o Coritiba. Roberto bateu a primeira vez, fez o gol, mas que acabou sendo anulado pois o goleiro do Paysandu saiu do gol antes da finalização. Na segunda cobrança, Paulo Rafael caiu no canto direito e espalmou o chute do camisa 7 do Coritiba, evitando o quarto gol da equipe da casa para desespero na torcida que compareceu em bom número ao Alto da Glória.
Cinco minutos depois, o atacante perdeu mais uma chance, quando recebeu livre e tocou para fora.
O jogo ganhava em emoção e desespero. O Coxa precisando fazer mais um, para tranquilizar sua torcida, ao passo que se o Papão fizesse mais um, o drama aumentaria.
Aos 42min, susto para a torcida coxa-branca. Vanderlei salva o Coxa. Bola cruzada na área, e Douglas desvia de cabeça em cima do arqueiro, que faz grande defesa.
Já nos acréscimos, aos 46', Junior Urso rouba a bola pela direita, passa para Rafael Silva, que dribla o goleiro e mais uma vez foi derrubado dentro da área. Penalti. O goleiro Paulo Rafael foi expulso no lance e desfalca o Papão. A torcida do Coritiba grita das arquibancadas o nome de Tcheco.
O meia pega a bola e a coloca na marca da cal. Como já havia feito todas as substituições, Harrison foi para a meta do Papão. O meia Tcheco bateu forte no canto direito e consolidou a goleada no Alto da Glória e que deixou o Coritiba com boa vantagem para avançar as quartas. 

Fim de jogo no Alto da Glória para um público de mais de 10 mil torcedores. 

O próximo compromisso do Verdão será pelo Paranaense, apenas para cumprir tabela, já que já está garantido na final com o arqui-rival. O Coxa enfrenta a equipe já rebaixada do Roma em Apucarana, dia 29/04, às 16:00

[a tua camisa alviverde para sempre hei de amar]


24 de abr de 2012

SEJA SÓCIO COXA-BRANCA

SEJA SÓCIO COXA-BRANCA

Além de aumentar o quadro associativo do clube e ter garantido um lugar no Couto, sem precisar enfrentar filas, quando você se associa, você pode ajudar o clube confirmando a sua supremacia no Estado, além de poder contar com inúmeras vantagens com algumas empresas que tem parceria com o Coritiba Foot Ball Club.
Aproveite, e se associe e acompanhe todos os jogos do Verdão no Alto de tantas Glórias !



Confira as vantagens clicando no link abaixo

Faixa antiga da Torcida do Coritiba

TORCIDA ANTIGA DO COXA


No ano de 1989, o Coritiba sagrou-se campeão estadual, conquistando seu 29º título, vencendo o jogo por 2 x 0, contra a equipe do União Bandeirantes, com gols de Tostão e Chicão.
A grande maioria dos torcedores coxas lembram daquele time e vão mais além ainda, que se o Coritiba não fosse rebaixado "na caneta" pela CBF aquele time teria conquistado o BI-Brasileiro, infelizmente é uma coisa que nunca vamos saber com certeza.

No entanto, apesar daquele time ainda não ter saído da memória coxa-branca, muitos com certeza não vão lembrar de uma torcida que comparecia aos jogos, especialmente naquele ano, com direito a faixa, que caracterizava o nome da torcida, mas que é pouco lembrada. Tratava-se da torcida, "Gaviões Alviverdes".
A faixa da torcida é vista, na final do campeonato de 89, onde o COXA conquistou o título.

Vídeo da conquista que mostra a faixa da antiga torcida,






23 de abr de 2012

FOTOS DO ATLE-TIBA: COXA 4 X 2 CAP

O estádio era com uma TORCIDA SÓ, mesmo assim foi possível registrar muitas fotos na vitória do Coxa sobre o velho rival, entre faixas, placares e muitas bandeiras na TORCIDA IMPÉRIO ALVIVERDE, que contou com pelo menos 10 bandeiras, algumas com escudos do Coxa e outras com a inscrição CORITIBA deixando o estádio mais bonito.


CORITIBA 4 X 2 Cap - Paranaense 2012

Coritiba se impõe dentro de casa e aplica mais uma goleada no velho rival
Coritiba vence por 4 x 2 o antigo rival e de quebra conquista o segundo turno, o que lhe dá o direito de disputar a final em duas partidas com o próprio rival.


O JOGO
Foi o atle-TIBA 350, marcado pela primeira vez no Couto com "Torcida Única" e o Coritiba entrou na tarde deste domingo para enfrentar o velho rival, no Couto Pereira pela 10ª rodada do segundo turno precisando vencer, e entrou em campo, com o apoio de mais de 18 MIL fiéis torcedores com seu uniforme tradicional número 1 assim escalado: Vanderlei, Jonas, Demerson, Emerson e Lucas Mendes; Junior Urso, Tcheco, Éverton Ribeiro e Rafinha; Anderson Aquino e Roberto. O time da baixada entrou em campo, sem o apoio da sua torcida, mas alguns jogadores que não foram relacionados, além de alguns funcionários, e parte da comissão técnica assistiram o jogo no setor visitante. Ao momento que pisou o gramado do Alto da Glória, o time da baixada foi repecionado também pela Torcida do Coritiba, mas com gritos de: "Ãaooo, Ãaooo, Ãaooo Segunda Divisão, Ãooo, Ãooo, Ãooo Segunda Divisão", que ecoaram pelo majestoso Estádio Couto Pereira.

Como a maioria dos jogos que colocaram frente a frente, as maiores equipe do Estado, o atle-TIBA de 350 foi marcado por grandes emoções, polêmicas e o principal, muitos gols e mais uma vez o placar de 4 x 2 se repetiu para o time esmeraldino do Alto da Glória que viu a supremacia em clássicos aumentar. Agora, o Coxa tem 134 vitórias, contra 109 do CAP e 107 empates.
O jogo já começou eletrizante e num lançamento de Jonas para Aquino, o atacante disparou até a entrada da área e viu Everton Ribeiro entrando, foi só rolar, para o meia chutar e a bola ir para os fundos das redes por entre as pernas do arqueiro do time da baixada e abrir o placar aos 2 minutos no Alto da Glória. Depois, foi só correr para o abraço. 1 x 0 Coxa.
Como sabia que o time da baixada iria apostar num jogo ofensivo, Marcelo Oliveira, apostou nos contra-ataques, porém o time da baixada, corrigiu seu posicionamento defensivo e dificultou as ações do Cori. O jogo ficou equilibrado e aos 20min, Ricardinho arriscou de longe e exigiu boa defesa de Vanderlei. 2 minutos depois foi a vez de Anderson Aquino perder a chance, o atacante recebeu na meia lua, bateu, mas o goleiro deles faz a defesa.
As ações estavam equilibradas, mas em um lance isolado, e de forma maldosa, o atacante atleticano perdeu o controle, e literalmente acertou um chute em Lucas Mendes, que marcava bem o atacante rubro-negro, O assistente percebeu e avisou o árbitro que corretamente expulsou o atacante equatoriano, que se revoltou, e foi tentar tirar satisfações com o assistente. Guerrón muito alterado foi retirado por seus companheiros do gramado e a torcida não perdoou e mais uma vez, gritos de "Segunda Divisão", misturados com "Timinho" ecoaram pelo estádio
Mesmo com a vantagem numérica e no marcador o Coritiba não soube tirar proveito dessas vantagens, nem com Rafinha que ainda não marcou em atle-TIBAS, o Coxa não ampliou. O meia-atacante recebeu passe dentro da área, mas na hora do giro, finalizou em cima do goleiro atleticano.
E aos 42min veio o castigo. Paulo Baier cobrou falta com precisão, acertou a gaveta, sem chances para o goleiro Vanderlei e empatou o clássico. 1 x 1.


2º TEMPO
Com atuação discreta no primeiro tempo o técnico MO resolveu fazer a primeira substituição e sacou Anderson Aquino para a entrada de Lincoln. A troca surtiu efeito e o Coxa foi pra cima, apesar do empate, que não seria um mal resultado devido a ser um clássico, o Coxa queria mais, queria o título antecipado e em cima do rival, que com certeza seria mais gostoso.
Aos 10min, escanteio para o Coxa, cobrado curto para Lucas Mendes. O lateral cruza na área e Jonas sobe sozinho para fazer o cabeceio. A bola passa rente a trave direita de Vinícius. A galera começa a apoiar com mais intensidade.
Depois aos 13 min, em contra ataque fulminante, puxado por Lucas Mendes, o lateral avança pelo meio e toca para Lincoln, livre dentro da área. O meia bate rasteiro cruzado e desempata a partida. 2x 1 Coxa. O lance gerou polêmica, pois Lincoln estaria um pouco adiantado.
De fato, os programas esportivos, mostraram que o atacante estava milímetros adiantado, mas como foi um lance muito rápido, e do lado direito haviam dois jogadores, um do COXA e outro do rival, o que possivelmente tenha atrapalhado a visão do auxiliar que não levantou a bandeira e o árbitro confirmou o segundo gol do Cori.
Com a vantagem no placar, o Verdão seguia atacando o rival. Roberto teve duas chances. Na primeira ele bateu cruzado e Vinícius defendeu. Em seguida, bateu e a bola saiu pela linha de fundo.
Aos 19min, Rafinha recebe entrada maldosa, de Bruno Costa e sai de maca machucado, chorando e fica sem condições de permancer na partida. O jogador sofreu uma torção no tornozelo.
Logo depois aos 23min, devido a contusão saiu Rafinha para a entrada de Renan Oliveira
Mas quem fez, foi o time da baixada, que em rara oportunidade de gol no segundo tempo, chegou à igualdade aos 29 minutos. O meia Martín Ligüera chutou cruzado e acertou a trave de Vanderlei. No rebote, em falha de Tcheco, Zezinho chutou forte, no alto, e marcou, empatando a partida em 2 a 2.
Mas nem deu tempo para os atleticanos comemorarem, um minuto depois aos 30'  Everton Ribeiro escolhido o melhor em campo, pela Rede Transamérica, deu um bonito passe de calcanhar, misturado com passe de letra para Roberto que dominou entre dois zagueiros, e chutou para estufar as redes atleticanas. 3×2 Verdão no Alto da Glória.
O Coritiba seguia melhor e aos 37min, MO resolve fazer a última alteração. Saiu Tcheco e entrou Djair. No momento que o meia Tcheco saia de campo, as socias em peso, se levantaram para aplaudir Tcheco de pé. Além disso, antes na reta da Mauá, Tcheco também já havia recebido homenagem em faixa que dizia: "Muito obrigado. Tcheco".
O rival apesar de valente, não resistiu e combalido em campo nem chegou a esboçar reação e viu o Coxa, já nos acréscimos ampliar. Aos 47 minutos Renan Oliveira lança Roberto na linha de fundo. O atacante esperou Oliveira chegar na área e fez o cruzamento a meia altura. O meia se jogou e empurrou para o fundo das redes e fechou o placar. 4 x 2 para o Coxa. 
Ao final do jogo, os atletas receberam no gramado o troféu pela conquista do segundo turno do Paranaense 2012 e o direito de disputar a grande finalíssima, em dois atle-Tibas, o primeiro na Vila e o segundo no Couto Pereira.


O próximo compromisso do Verdão será o primeiro jogo pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil, dia 26/04, às 19:30 no Couto Pereira frente à equipe do Paysandu.


[a tua camisa alviverde para sempre hei de amar]
 

21 de abr de 2012

atle-TIBA das antigas

ATLE-TIBA E A VELHA RIVALIDADE
Fonte desconhecida

A antiga rivalidade que começou há muito tempo se tornou histórica e pode ser vista na foto a seguir, em camisas que onde ainda, nem haviam patrocinadores.

20 de abr de 2012

Coritiba apresenta volante



Coritiba apresenta novo volante

O Coritiba, através do seu Departamento de Futebol, confirmou na tarde de hoje a contratação do volante Sérgio Manoel, um dos destaques do Campeonato Paulista, e que defendeu o Mirassol.
O atleta vem com contrato de empréstimo até o final do ano e espera ajudar a equipe alviverde.

O volante ainda atuou nas sequintes equipes
Nacional (SP) (2005-2009), Atlético Araçatuba (SP) (2009), Batatais (SP) (2010), Rio Preto (SP) (2011), Mirassol (SP) (2011-2012)


Colaborou o site oficial

Torcida: Coritiba confirma supremacia alviverde

Confirmando o domínio nas arquibancadas mais um ano, Coritiba tem melhor média de público novamente


Ao longo dos dez jogos já disputados em casa pelo Campeonato Paranaense de 2012, o Coritiba mantém a maior média de público da competição. Já são 87.870 torcedores no Couto Pereira. A soma total de todas as partidas reflete na média de público de 8.787 pagantes por jogo ocorrido no Alto da Glória.
Os dados foram retirados das súmulas e borderôs disponibilizados no site da Federação Paranaense de Futebol e dão ao Coritiba, disparado, a melhor média de público do estadual. A partida que concentrou o maior número de torcedores no campeonato foi a vitória de 1 a 0 diante do Londrina, na 6ª rodada do returno. Neste dia, mais de 11.300 torcedores pagantes vieram ao Couto Pereira.
Números que dão sequência à supremacia alviverde, que no ano passado já foi o líder na média da competição, com 11.188 pagantes por partida.
No ranking da melhor média de público, o Coxa vem seguido pelo time da baixada, com 3.385 torcedores por partida e depois pelo Londrina, com 3.291.

Domingo, o Coxa ainda tem um clássico decisivo na reta final do segundo turno, que pode fazer com que esses números aumentem ainda mais.
Confira abaixo os cinco times que mais movimentaram suas torcidas no regional deste ano.
Médias de público pagante do estadual até a 9ª rodada do returno:
1- CORITIBA – 8.787
2- Atlético-PR – 3.385
3- Londrina – 3.291
4- Arapongas – 3.169
5- Operário – 2.429
6- Roma – 1.328
Rio Branco – 1.328
7- Toledo – 1.042
8- Iraty – 930
9- Cianorte – 817
10- Paranavaí – 755
11- Corinthians – 148


Fonte: http://futebolfutebol.com.br/coritiba/com-mais-de-8-700-torcedores-pagantes-por-jogo-no-couto-e-a-duas-rodadas-do-final-da-competicao-coxa-confirma-supremacia-da-torcida-alviverde

Só pra lembrar....


18 de abr de 2012

Coritiba x Galo - Semifinal 1985

Reportagem Revista Placar em 26 de Julho de 1985

Relembrando: Coritiba Bi-Campeão

Da série relembrando, a "Revista Placar" de 21 de setembro de 1979 destacava em sua capa o bi-campeonato do Coritiba que foi conquistado em cima do Colorado.

Placar do Maracanã

O placar luminoso do MARACANÃ informava a 00:40 do dia 1º de agosto de 1985 :
CORITIBA CAMPEÃO BRASILEIRO

Uma conquista que marcou uma época