banner

1 de fev de 2012

CORITIBA e o sonho do Tri Campeonato

O TRI-CAMPEONATO DE 1973
O ano de 2010, começou com certo ar de desconfiança, mas o clube se reergueu, deu a volta por cima e conquistou o título Paranaense em cima do maior rival. 2 x 0 no Couto Pereira.
Em 2011, com o moral elevado e com a confiança restabelecida o Coritiba conquistou o Bi-Campeonato com uma rodada de antecedência de forma invicta, quebrando recordes e com gosto especial, o Bi veio em cima do maior rival, em plena Arena da Baixada. 3 x 0.

O ano de 2012 chegou e com ele veio junto a esperança da nação coxa-branca de ver realizado um sonho - A conquista mais uma vez de um Tri-Campeonato - feito esse ocorrido apenas uma vez na história e que não ocorre desde a década de ouro do Cori em 1973. 
Porém, antes de atingir aquele Tri inédito, e que se tornou sonho de consumo para atletas, dirigentes e torcida o Coritiba havia batido duas vezes na trave.
A primeira foi em 1950, quando o Cori venceu a decisão diante do Ferroviário, por 3×2, na Vila Capanema, com gol de Renatinho aos 41 minutos do segundo tempo, mas dois jogadores adversários furaram a rede com os pés e disseram ao árbitro que a bola entrou por fora. No dia seguinte, o jovem fotógrafo Humberto Utrabo, que estava atrás do gol e tirou uma foto do lance, acusou que o gol foi legal.
A segunda vez foi em 1961. O Coritiba conquistou a competição numa disputa com o Operário, de Ponta Grossa, chegando até a posar com foto de Tricampeão. Mas o jogador Agapito, que estava legalmente registrado na Federação, foi vítima de uma acusação de irregularidade pelo Operário. O TJD deu ganho de causa ao Cori, mas a equipe de Ponta Grossa entrou na esfera nacional e ganhou o título.

Portanto devido a esperança que ressurge em 2012, trarei a lembrança de forma suscinta como foi o TRI CAMPEONATO DO CORITIBA EM 1973.

Zé Roberto artilheiro daquele ano com 15 gols
O Campeonato Paranaense daquele ano iniciou sua 59º edição no dia 10 de fevereiro de 1973 contando com 12 equipes. O campeonato foi divido em duas fases. A primeira fase em turno e returno, todos jogando entre si, sendo a fórmula da disputa por pontos corridos, onde os 6 melhores passariam para Segunda e ùltima fase.
Na segunda fase, os 6 melhores se enfrentaram novamente entre si, em turno e returno e ao final desta fase o time com melhor pontuação foi o Coritiba, declarado Campeão do Torneio.
Foram 140 partidas pra conhecer o campeão e 355 gols marcados, sendo o artilheiro daquele ano, Zé Roberto com 15 gols anotados para a equipe do Alto da Glória.


HISTÓRIA
A conquista do Tricampeonato Paranaense era um dos maiores sonhos de toda a comunidade coxa-branca. O presidente Evangelino Costa Neves com consciência disso não mediu esforços para montar uma grande equipe. Depois de perder o título de 1970 por um erro de arbitragem, quebrando a seqüência (1968 e 1969), o presidente disse: “Nunca mais vão me ganhar título que não seja dentro do campo”.
Naquele ano, comandados por TIM, o Coritiba tinha um dos melhores times da história, tanto era bom esse time, que chegava a causar inveja em muitos times do Brasil, time esse que ficou na lembrança de milhares de torcedores pela conquista do inédito Tri Campeonato.

COMPETIÇÃO
A equipe que entraria para a história naquele ano conquistando o Tri era assim composta:  Jairo, Orlando, Oberdan, Cláudio Marques e Nilo; Hidalgo e Dreyer, Sérgio Roberto (Leocádio), Zé Roberto, Negreiros e Aladim.
E o título veio na penúltima rodada e apenas o time da baixada era o único que oferecia risco ao Coritiba. Então o Coxa viajou para Bandeirantes, onde enfrentaria o União precisando de uma vitória para ser campeão. O Atlético-PR jogava em Londrina e uma derrota deles também levava o título para o Alto da Glória. Na época a vitória valia dois pontos e a diferença entre os dois era de três.
Mas a combinação foi perfeita naquela noite. A derrota do Atlético-PR em Londrina e a vitória do Coritiba por 1×0, com um golaço de Zé Roberto, em Bandeirantes deram o título para o Coxa.

Em Curitiba a nação alviverde explodia de alegria. A delegação chegou apenas no dia seguinte, passando por Londrina, onde recebeu um almoço da TV Coroados em homenagem pela conquista.
Quando o ônibus chegou em Campo Largo, uma surpresa! O povo já estava nas margens da estrada com bandeiras e camisas saudando o time. Na medida em que se aproximavam do centro da cidade a multidão ia aumentando. Parecia que toda a cidade havia saído de casa para comemorar.
Revista Placar Edição Especial - Cori 100 anos

O fato estava consolidado. O Tri era nosso, conquistado com sobras dentro do gramado e ninguém mais podia tirar.

PARTICIPANTES E CLASSIFICAÇÃO FINAL

JORNAIS DA ÉPOCA 
ARQUIVO PARTICULAR


FRASES SOBRE O TRI
“Era um sonho do Evangelino e da torcida. Quando eu cheguei aqui, a lavagem cerebral era para sermos tri”.

“Sei que muitos imaginam que a minha maior alegria foi ter sido Campeão Brasileiro, mas o momento de maior êxtase foi mesmo na conquista do Tricampeonato. Foi uma conquista inédita, inusitada na história do Clube e perseguida havia muitos anos por diversas gerações de coxas-brancas. No dia em que conseguimos o título brasileiro eu vibrei, é claro, mas já estava acostumado com as emoções do futebol, já estava mais calejado e recebi o feito com naturalidade e muita tranqüilidade”. 

Colaboração Site oficial do clube

Nenhum comentário:

Postar um comentário